Ecoeficiência do Bambú

O bambú é uma planta extraordinária, os principais aspectos ecoeficientes do bambú são:

 

–       Sequestra Carbono:

A espécie Guadua fixa 54 toneladas métricas de dióxido de carbono atmosférico por hectare nos primeiros 6 anos.

–       Rápido crescimento:

Pode crescer 21 cm por dia, chegando em sua altura máxima, de 15 à 30 metros nos primeiros 6 meses.

–       Protege o Solo:

Os bambus conservam o solo, controla a erosão com seu sistema de raízes, Regula a umidade, traz matéria orgânica,

–       Resistente e Flexivel:

O bambu é um material de alta tecnologia, sua relação peso resistência supera o aço.

–       Abundante:

Existem de 1,2 à 1,5mil espécies nativas de bambú que são cultivados praticamente em todo mundo com mais abrangência em zonas quentes e com chuvas abundantes das regiões tropicais e subtropicais da äsia, América do Sul e África. Sendo 62% nativas da Ásia, 34% das Américas, e 4% da äfrica e Oceania.

–       Históricamente Versátil

As utilidades do bambú são inúmeras e das mais variadas: para o desenvolvimento das civilizações como moradias, infra estrutura agropecuária, alimentação, biomassa, engenharia, artes entre outros.

–       Biodeagradável:

Como elemento natural o bambú pode ser descartado diretamente no solo não provocando nenhum tipo de contaminação ao meio ambiente.

–       Contribue para a biodiversidade:

A estrutura flexivel e as diferenças entre sombra e luz permitem o desenvolvimento de inúmeros vertebrados e invertebrados nos bambuzais.

 

Essas características tornam o Bambú como um importante instrumento para o Desenvolvimento Sustentável.

Saiba mais sobre o Bambú Guadua clicando aqui.

Conheça o trabalho em Bambú do Arquitecto Simón Velez aqui.

Redação Ecoeficientes

 

Fontes:

https://en.wikipedia.org/wiki/Guadua

Livro: Guadua, Arquitectura y Diseño de Marcelo Villegas

Imagem: Casa Atrevida – Costa Rica

 

COMPRE AQUI SUAS VARAS DE BAMBÚ

 

 

Deixe seu comentário: