Ressò – Protótipo Sustentável para Solar Decathlon Europa 2014

O Solar Decathlon é uma competição internacional patrocinado pelo Departamento de Energia dos EUA University. Os objetivos da competição são baseados na investigação, inovação, design e projetos de construção autossuficientes e espaços que funcionam exclusivamente com energia solar. No entanto, a competição faz parte de um contexto em que o estudo e pesquisa dos limites de sustentabilidade e eficiência são os principais pilares, no âmbito da arquitetura, engenharia e construção.

Ressò é uma das equipes que participam da edição européia do Solar Decathlon , realizada em Versalhes, França, durante o verão de 2014. A equipe representa a Escola Técnica Superior D’Arquitetura del Vallès (Universitat de Politècnica da Catalunya, Barcelona) e é composto por cerca de 50 alunos orientados por 10 professores. Seu protótipo de habitação autossuficiente ganhou prêmio em arquitetura, prêmio em inovação em design urbano, transporte e acessibilidade.

Ressò é uma estratégia de renovação urbana, social e energética, além de ser uma ferramenta de ensino. Abaixo estão listadas diversas questões e respostas que este protótipo apresenta.

  1. Criação de relações estritas do usuário e uso. 
  2. Estudo do modelo urbano, interações entre os edifícios, análise do potencial de crescimento. 
  3. Construção a seco e leve.
  4. Linguagem construtiva.
  5. Utilização de materiais de baixo impacto em ciclos fechados, passivos e priorizando sistemas bioclimáticos.
  6. Revestimento feito a partir de um conjunto de painéis pré-fabricados de betão que contém 62 % do peso do edifício e que apresentam grande inércia térmica.
  7. Fachadas divididas em dois tipos de acordo com a orientação. Fachadas sul são os gestores de radiação, com uma dupla pele de policarbonato, criando de uma câmara de ar que regula o clima no interior do edifício. As fachadas do Norte são basicamente isoladas e apresentam janelas com vista para o exterior.
  8. Cobertura formada por uma estrutura de perfis de madeira bidirecional, concebida para ser montado no chão e ser levantada com uma grua, minimizando o trabalho feito na altura.
  9. Estrutura facilmente identificável, sem uso de materiais supérfluos e desnecessários, facilitando a limpeza e reparação, barateando o custo, aumentando a velocidade e diminuindo a energia para a construção do espaço, além de ser uma ferramenta de ensino e uma forma de incentivo a autoconstrução, pois permite o usuário compreender a forma como é feita a construção e como funciona. 
  10. O protótipo é autossuficiente e permite a aproximação, experimentação e utilização dos sistemas climáticos, incentivando os usuários ao uso adequado e eficiente da energia e a pensarem como poderia ser aplicado em suas casas, iniciando um processo de reabilitação urbana.
  11. O teto e as fachadas orientadas a noroeste e a nordeste são isolados, a fim de minimizar a perda de energia, local onde ocorre o maior intercâmbio entre o protótipo e o exterior. 
  12. O pavimento com massa térmica proporciona inércia ao edifício, permitindo que o edifício diminua a variação de temperatura e dependa menos das condições externas.
  13. Duas fachadas são orientadas para sudeste e sudoeste, a fim de seguir a trajetória do sol e assim, gerir a radiação que chega ao prédio durante todo o dia.
  14. Uso da inércia térmica do solo, permitindo que no verão, durante o dia, haja a absorção do excesso de calor do protótipo e à noite, a ventilação transversal seja capaz de dissipar toda a energia armazenada.
  15. No inverno, o protótipo recebe energia direta da radiação solar, climatizando o espaço de forma passiva. Estudo para determinar a espessura ideal da laje foi realizado através de programas de simulação. 
  16. Aplicação da ventilação cruzada e noturna. A ventilação noturna ajuda a dissipar a temperatura acumulada da inércia do solo.
  17. Quatro dos painéis duplos de pele permitem a trocas de ar, garantindo a qualidade do ar.
  18. O protótipo apresenta 18 painéis fotovoltáicos para produção de energia elétrica, com uma capacidade total instalada de 4,5kWp, que pode atender a demanda de um dia normal de um espaço coletivo
  19. O protótipo também faz uso de 6 m² de tubo de vácuo para aquecimento de água, absorvendo toda a demanda de água quente. Isso é possível graças à superfície da captação, mas também graças à acumulação de 900l, garantindo a autonomia de dois dias sem radiação.

Fonte: Construible

Saiba mais, clicando em: Ressò

 

isolante-de-la-de-pet-solucao-ecoeficiente

Deixe seu comentário: