A cultura da horta caseira

A importância da horta caseira é um conceito antigo e que fortaleceu no século 19, pela conceituação feita pelo médico alemão Moritz Schreber que coloca em evidência a necessidade de aumentar o número de áreas de lazer para as crianças em diversos bairros europeus e a qualificação da jardinagem. Com isso, o expaços externos das casas começaram a ganhar outra importância através da implantação de hortas para consumo próprio. Hoje em dia, em alguns países esta prática é protegida por lei. A Lei de Horta Privada, assinada em 2003 pelo governo russo, garante de graça uma faixa de terra na área urbana para plantio. Na imagem acima, é possível observar os arredores da Avenida Crozet (Genebra-Suíça), um exemplo da cultura da horta caseira implantado de maneira organizada e com função comunitária. Cada família planta um alimento específico e este, quando feita a colheita, são trocados entre os vizinhos.

O Office International du Coin de Terre et des Jardins Familiaux (Escritório Internacional do Pedaço de Terra e Jardins Familiares ) com sede em Luxemburgo, apresenta uma colocação que representa três milhões de jardineiros desde 1926, em que descreve as funções sócio- culturais e econômicas  da horta. Entre elas, estão: oferecer uma melhor qualidade de vida, um passatempo agradável e rentável , relaxamento e contato com a natureza. Para as crianças, jardins oferecem lugares para brincar e aprender sobre a natureza , enquanto que para os desempregados, eles oferecem uma sensação de estar fazendo algo útil , além de fazer uso de alimentos de baixo custo. Para os idosos e deficientes , jardins oferecem uma oportunidade para conhecer pessoas, para compartilhar e experimentar atividades como plantio e colheita.

Anna Lindhagen, uma líder sueca social-democrata, uma ativista dos direitos das mulheres, foi também uma forte liderança na introdução da horta comunitária na Suécia, em colaboração com Anna Åbergsson.

Em 1895, a primeira horta comunitária da Suécia foi criada em Malmö, seguido de Estocolmo, em 1904. As autoridades locais foram inspirados por Anna Lindhagen. Em seu primeiro livro sobre o tema dedicado à utilidade das hortas, ela escreveu:

Para a família, o pedaço de terra é um vínculo de união, onde todos os membros da família podem reunir-se através do trabalho compartilhado e do lazer. O pai da família, cansado com o espaço apertado de casa, pode se alegrar em cuidar de sua família ao ar livre e sentir-se responsável se o pequeno lote de terra confere um interesse muito especial sobre a vida. 

 

Fonte: Allotment(gardening), Moritz Schreber, eCycle

 

 

 

Deixe seu comentário: